"O alicerce fundamental da nossa obra é a JUVENTUDE" (Che Guevara)

sábado, 12 de novembro de 2011

ESTUDANTES DO PJU TECENDO O SABER!


    FREIRE, 1996¹ diz creio poder afirmar, na altura destas considerações, que toda prática educativa demanda a existência de sujeitos, um que, ensinando, aprende, outro que, aprendendo, ensina, daí o seu cunho gnosiológico; a existência de objetos, conteúdos a serem ensinados e aprendidos; envolve o uso de métodos, de técnicas, de materiais; implica, em função de seu caráter diretivo, objetivo, sonhos, utopias, ideais. Daí a sua politicidade, qualidade que tem a prática educativa de ser política, de não poder ser neutra.
    Nessa perspectiva TECER O SABER tem sido objetivo constante do PJU/ITABERABA, temos buscado promover uma práxis onde professores e estudantes realizam a troca de saberes respeitando as vivências e os conhecimentos de cada um desses atores envolvidos nesse processo de aprendizagem.
    A ação-reflexão dos estudantes se da a partir do momento em que estes são revestidos de um empoderamento próprio que os tornem sujeitos ativos no seu processo de formação. O desenvolvimento das atividades teóricas e práticas se processam de forma integrada contribuindo para uma maior apreensão dos conteúdos e ampliando o olhar dos estudantes para o meio social no qual estão inseridos.
    Nossas práticas tem contemplado o que FREIRE nos ensina, "o envolvimento de métodos, técnicas, materiais" que conduz os estudantes na ampliação da sua visão política de mundo, assim como para a sua emanciapação.
ATENDENTE DE FARAMÁCIA
Conhecendo os Diversos Tipos de Farmácos



O texto da Consulta Pública (CP) nº 69 http://www4.anvisa.gov.br/base/visadoc/CP/CP%5B19073-1-0%5D.PDF propõe o Regulamento Técnico de Boas Práticas Farmacêuticas em Farmácias e Drogarias, que define critérios para o controle sanitário da venda de medicamentos e produtos correlatos e alimentos como também para a prestação de outros serviços farmacêuticos à população. Na avaliação da Anvisa, a farmácia não deve ser vista como um estabelecimento puramente comercial. “Ela deve ser um local de promoção à saúde, com suas atividades bem definidas e funcionando como uma extensão das orientações médicas e dos serviços prestados pelo Sistema Único de Saúde”, defende Dirceu Raposo de Mello, diretor-presidente da Anvisa.
"Toda prática educativa demanda a existência de sujeitos, um que, ensinando, aprende, outro que, aprendendo, ensina..." ( Paulo Freire)


Novas descobertas...grandes discussões!


Avaliando informações importantes que precisam ser
analisados na embalagem dos medicamentos...
Validade, Lote, Assinatura do Farmacêutico entre outros...


A importância de  conferir os dados da receita médica...
comparando com os dados da medicação


Em sala a discussão do conteúdo sobre medicamentos continua...



Atendente de receituário...esclarecer ao paciente as
 informações existentes na Receita Mmédica, como
Qual é a medicação, horário de tomar a medicação e quantas vezes ao dia...


O ATENDENTE DE FARMÁCIA TEM DETERMINADAS ATRIBUIÇÕES E TÉCNICAS

      Em quse todos os seus apsectos, a venda de medicamentos é semelhante a qualquer outra. Exceto por um motivo que faz toda a diferença: em príncipio ninguém compra remédios porque quer, e sim porque precisa, resumindo vender remédios é trabalhar com a saúde do cliente, e não com sua vaidade, necessidade de diversão ou com seu apetite.
    Por isso, em primeiro lugar, o balconista de farmácia precisa ter consciencia do seu papel. De certa forma, ele é um agente que ajudará a promover o bem estarde outra pessoa. (BRASIL, 2009)²

NÃO RECEITE OU SUGIRA MEDICAMENTOS, ESSA NÃO É TAREFA SUA!!!





REFERÊNCIAS
¹FREIRE, Paulo. Pedagogia da Autonomia Saberes Necessários à Pratica Educativa. Editora EGA, 1996.
²BRASIL. Ministério do Trabalho e Emprego. Guia de Estudo/Coordenação/Laboratório Trabalho e Formação - COPPE. Coleção Projovem Arco ocupacional. 2009. 116p.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário